Merchandising em supermercado

Como a transformação digital impacta o merchandising em supermercados?

Confira cinco tecnologias que podem mudar totalmente a forma como o varejo se relaciona com os consumidores no PDV

O setor de supermercados está passando por uma profunda transformação. Nos mercados mais desenvolvidos, a elevação dos custos, a queda dos níveis de produtividade e uma corrida focada em preço baixo têm provocado queda no ritmo de crescimento e na rentabilidade do setor. Como se não bastasse, grande parte da receita do setor tem migrado para outros formatos de varejo, como hard discount, varejo online, farmácias e outros segmentos não-supermercadistas. Segundo a McKinsey, essa conjugação de efeitos eliminará do mapa cerca de metade das redes de supermercados no mundo.

Para continuar a ser relevante, os supermercados precisam mudar de postura e contatar o consumidor em toda a sua jornada de compra para oferecer uma melhor experiência. Não basta mais investir em publicidade para levar o cliente à loja e, dentro do PDV, usar a habilidade de merchandising para apresentar os produtos e ofertas. O fato é que o merchandising em supermercados vem passando por uma revolução.

Nesse movimento de transformação, tudo o que tradicionalmente valia para o merchandising em supermercados passa a ser impactado pelo digital. A estruturação do ponto de venda; a apresentação das categorias, produtos e preços no PDV; a sinalização das lojas; o cross merchandising; a identificação dos hot spots; o uso do PDV como mídia, tudo isso é potencializado quando recursos tecnológicos são utilizados.

Da apresentação de ofertas no smartphone dos clientes às tecnologias embarcadas nas gôndolas, existem inúmeras oportunidades para aumentar a rentabilidade e a relevância do ponto de venda. Fique de olho nestas cinco tendências tecnológicas que estão impactando o merchandising em supermercados:

Inteligência Analítica

Os dados fazem com que os negócios funcionem. Saber coletar os dados dos clientes em todas as interações gera a oportunidade de compreender seu comportamento e desenvolver estratégias eficientes de geração de vendas.

Para o merchandising em supermercados, os dados permitem que as empresas entendam seus clientes em um nível muito mais aprofundado do que as tradicionais classificações por faixa etária ou renda. Ao utilizar sistemas que utilizam os dados do cliente para reconhecer demandas e identificar produtos e serviços que possam atender a essas tendências, o varejo se antecipa às necessidades dos consumidores e agrega mais valor a seu negócio.

Não é apenas na definição das compras que o uso de recursos de Inteligência Analítica leva o merchandising em supermercados a um novo nível. A precificação se torna mais eficiente, por exemplo: em vez de definir um preço único para todos os clientes, passa a ser possível entregar produtos a preços diferentes para cada consumidor, a cada momento. A possibilidade de realizar promoções desnecessárias também diminui, o que aumenta a rentabilidade do varejo.

Internet das Coisas (IoT)

A Internet das Coisas (IoT) é uma das maiores forças de transformação do varejo, trazendo inovações nas mais diversas áreas. Sensores podem ajudar, por exemplo, a criar um ambiente interativo para o merchandising em supermercados. Não é à toa que 70% das empresas pretendem utilizar a tecnologia para melhorar a experiência de compra dos consumidores.

O uso de IoT transforma a loja física em um ambiente totalmente novo. O uso de sensores permite acompanhar a navegação dos clientes pelo PDV, monitorar os equipamentos para prever falhas, evitar que produtos alcancem a data de vencimento e aumentar a precisão da logística e da gestão dos estoques. Na prática, a Internet das Coisas permite criar lojas smart, que automatizam a tomada de decisões, além de acelerar a implementação de self checkouts, lojas autônomas e pagamento por meio de aplicativos.

Cloud computing

A transformação digital do varejo exige negócios cada vez mais transparentes e ágeis. O uso da computação em nuvem facilita o compartilhamento de dados e documentos não somente dentro das empresas, mas também entre parceiros de negócios. É também uma forma mais eficiente e transparente para realizar o rastreamento e o compartilhamento de informações, como rupturas, excesso de estoque e documentos transacionais ao longo da cadeia de suprimentos.

No merchandising dos supermercados, o uso de cloud computing se traduz em mais velocidade da transmissão de informações, o que permite realizar rapidamente correções de rumo. Especialmente em datas promocionais, a computação em nuvem traz enormes ganhos ao setor.

Robôs

Falar em robôs remete imediatamente à indústria, mas o varejo vem adotando robôs em uma série de aplicações ligadas ao merchandising em supermercados, como chatbots, gestão dos estoques e serviços de entrega. Veículos autônomos vêm sendo testados em todo o mundo, enquanto os pontos de venda começam a receber equipamentos especializados em monitorar o PDV para verificar se o planograma está sendo corretamente executado e se existem rupturas.

O próprio atendimento ao cliente nas lojas será impactado pelo uso de robôs: um exemplo é a rede de materiais de construção Lowe’s, que testa um equipamento com o qual os clientes podem interagir para saber onde encontrar um determinado produto ou resolver uma dúvida de uso. Esse é um exemplo de uso de tecnologia que impacta a dinâmica de relacionamento com os consumidores e a experiência no ponto de venda.

Realidade Aumentada

O merchandising em supermercados pode ser imensamente impactado com o uso de tecnologias como Realidade Aumentada e Realidade Virtual. Já usada em diversas aplicações de varejo, especialmente em setores como móveis (onde é difícil visualizar como um produto se encaixa em um ambiente real) e vestuário (o fit de um produto no cliente), a Realidade Aumentada pode agregar informações ao cliente e oferecer experiências mais ricas aos consumidores.

Esse é um caso em que a onipresença dos smartphones joga a favor do varejo. Com o uso de um aplicativo, os consumidores podem ter acesso a informações adicionais sobre os produtos, desde a origem até detalhes de fabricação, informações nutricionais ou promoções atreladas ao seu comportamento de consumo. O uso de Realidade Aumentada no ambiente da loja abre novas possibilidades para o merchandising em supermercados, abrindo um novo potencial de mídia e de geração de receita para o varejo.

O merchandising nos supermercados pode ser totalmente transformado pelo uso de tecnologia nos pontos de venda. Essa é uma tendência inevitável. Cabe ao varejo se preparar para entregar experiências de compra mais relevantes e conquistar a preferência dos consumidores.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer se juntar a discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *